Virginia Costa

domingo, 27 de dezembro de 2009

TIRADENTES - MG- What to eat

Se tem uma comidinha honesta neste Brasil de meu Deus é a de Minas Gerais. Lá em Tiradentes e região tive uma recaída brava. Este abaixo é o Tempero da Angela. Fica em Bichinho. A impressão que se tem é que você está até invadindo a cozinha da casa pois as pessoas se servem diretamente no fogão a lenha, enquanto a Angela tá lá acabando de refogar alguma coisa. Os talheres estão no armário dela, os copos na cristaleira. Enfim, mais caseiro impossível.Comida muito gostosa.
  De um modo geral,adorei a comida, adorei a fartura das porções, o tempero e o requinte com o qual é servida. Aguça todos os sentidos e ainda me trouxe recordações de momentos felizes da infância.Um exemplo disto é este senhor aí mexendo o doce de leite no tacho no fogão a lenha há mais de 40 anos. É o Francisco de Paula Xavier, de 74 anos, mais conhecido como Chico Doceiro. Fácil de achar a loja pois tem o mesmo nome Chico Doceiro( Rua Francisco Pereira de Morais, 74, Centro.O doce depois é colocado no nosso velho conhecido "canudinho" de massinha crocante feito pela mulher dele.É perfeito. Tem também o Doce do Bolota que era diabético e desenvolveu um doce de leite light. Feito com 15 litros de leite e 200 gramas de açúcar.Bolota faleceu e quem continua a mexer o doce até hoje é sua mulher Célia e as 3 filhas.Vale a visita aos fundos da casa onde se pode degustar outras delícias não tão lights. R. Bias Fortes, 77 (Cascalho)

Não estive em todos os restaurantes que estou mostrando aqui. A Tete esteve lá há 9 anos e daí voltou há uns 3 meses e gostou tanto que nos arrastou para lá. Na segunda vez foi comemorando aniversário de casamento então meu compadre estava "de boa" e topava tudo que estava escrito no famoso "caderninho" com dicas de viagens da Tete. Uma das dicas imperdíveis- Pau De Angu Um restaurante no caminho pra Bichinho, no meio de um pasto, ou seja,do nada,( 2 km de terra)bem no pé da Serra de São José,numa casa simples, num ambiente rústico,serve pratos fartos preparados na hora,tudo produto deles, ingredientes da horta dalí mesmo.Frango caipira, lingüiça de pernil defumada no fogão a lenha(servida de entrada), lombo daqueles conservados na banha e de sobremesa um bufê de doces caseiros com umas 12 variedades numa cozinha típica super charmosa. 

Daí, no centro histórico,na linda Rua Padre Toledo, tem o Theatro da Villa. Pense num restaurante requintado e ao mesmo tempo "desencanado".É chic, é meio galeria de arte, é romântico, cheio de detalhes e o moço simpático que nos recebeu falava com tanto entusiasmo sobre o lugar e os detalhes que achamos que era o dono.Mas na verdade estes são os gêmeos Carlos Eduardo (o Chef) e Carlos Fernando.Djavan e Ignácio de Loyola Brandão até fizeram poesias dedicadas ao Chef e às suas criações. Olha só um exemplo - "Perdiz desossada, recheada de vitelo, ao molho de blueberries e amoras pretas, acompanhada de purê de palmito pupunha e alho porró."Tiraram 1o lugar de Melhor Prato no XI Festival de Gastronomia de Tiradentes em 2008.
Lembra daquelas cruzes que me impressionaram? Pois é, aí estão elas novamente expostas, emolduradas de formas distintas na parede do banheiro do Theatro da Villa. Imagens sacras também estão exibidas lá de uma forma diferente entre outros objetos de arte.
E tem também o Ora Pro Nobis, muito charmoso, bem em frente ao Chafariz.Os pratos mais típicos deste são -Ora Pro Nóbis(frango e Costela de porco),Lombinho à mineira e Leitão a pururuca. Perto dali, o Viradas do Largo, também conhecido como Restaurante da Beth é ótimo, lá tem o frango com angu e ora-pro-nóbis colhida no quintal. Tutu com costelinha, o angu feito de fubá de moinho d'água; feijão-tropeiro daquele bem vermelhinho. Até comprei pra trazer.Beth Beltrão deixa bem claro que não pode ter pressa para se comer. Fica difícil esperar pois quando ela começa a cozinhar o aroma vai se espalhando e dá uma fome danada.Rua do Moinho, 11
E acima, o Tragaluz
"Primeiro eu vi a bica. Depois eu vi que ela formava pequeno poço forrado de pedras. E a água era pura, transparente. Então - neste poço enfiei os pés. Água muito fria. E logo após, na água que caía enfiei as mãos, e com elas em concha deixei que delas a água transbordasse. Foi então que lavei meus olhos, e em seguida minha boca, fazendo renascer em mim paisagens esquecidas, palavras já não ditas, projetos guardados em lugares desconhecidos. Foi nesta pia que gravei no musgo a data deste batismo, e me vi com delicioso encantamento elaborar desenhos. Desenhos de sonhos; guardando entre os dedos pequenino ramo de delicadas flores, que guardada entre os papéis secaram com o tempo, permanecendo o pedido que fiz à natureza: - Que o novo Ano me TRAGA LUZ!"
Zenilca de Navarro
 
Com paredes de taipa(tijolo com adoube) e decoração muito curiosa, peças de demolição da própria casa por ocasião da reforma e recolhidas com carinho e expostas em vitrines pela proprietária Zenilka Navarro.O cardápio é desenhado a mão, parece literatura de cordel, conta historinha da galinha d'angola, uma das especialidades da casa.Tem também por lá mais de 20 cadernos expostos com comentários dos clientes.É o preferido do governador Aécio Neves e de muita gente "V.I.P"
E olhem só a "belezura" deste doce de limão cravo!( Foto da Tete).Os mineiros, de lá pra cá, conseguiram ainda dar uma "sofisticada" no que já era bom. Tudo ficou mais bonito, mais refinado, criativo. Deram um verdadeiro upgrade nas receitas tradicionais preservando os elementos básicos.Por exemplo, ao lado do doce de limão cravo (ou china) tem a famosa goiabada com castanha de cajú servida no Tragaluz numa cama de requeijão com sorvete de goiaba.O próximo prato é o jaleco de capote da Estalagem do Sabor um mexidinho com um feijão vermelho que nunca vi igual,lombo,banana, couve e uma dedo de moça pra enfeitar.Perfeito.Hoje a casa tem alguns pratos exclusivos como jiló preguento, abòbora real, mané sem jaleco, joão pronto e beliscão. Não deixe de experimentar o creme de mandioca com carne seca e a sobremesa de doce de limão capeta recheado com doce de leite.O outro prato da foto tem um picadinho, banana caramelada na rapadura,ovo frito, e por aí vai. Tudo servido com o charme de uma panela de barro, de ferro ou de pedra sabão e, dependendo do lugar, talheres de prata, castiçais de estanho, guardanapos de tecido impecáveis, luminárias charmosas, toalhinhas de crochet.Tudo obra de gente do lugar. Tudo com o requinte na medida exata para o cenário histórico.Lembra casa de vó, lembra dia de festa de antigamente.

sábado, 26 de dezembro de 2009

New Use for Bottles

Apartment Therapy Main- Les Maisons de Bouteilles.
Design Sponge e Eat Drink Chic. Garrafas da Country Home e ao lado ideia para colocar sabonete líquido.
Mais embaixo explica como fazer esta montagem. A janela da direita é da Claudia da La Calle Florida. Ideia legal do Design Sponge.

quinta-feira, 17 de dezembro de 2009

Mamey, Chiles e outros


Você já conhecia esta fruta? Eu não.É mamey. Eu fotografei no supermercado Tiendas Chedraui em Cancún algumas coisas interessantes e só depois, pesquisando na net, é que vim a saber que perdi uma boa oportunidade de experimentar. A casca desta fruta, meio áspera me desanimou. Não sabia que era assim por dentro.
Ela é mesmo do México e América Central e comum em Cuba, Norte da América do Sul e nas Índias Ocidentais. Foi introduzida na Flórida e aí ganhou importância pela procura pelos cubanos e outros latino-americanos.
Dá pra se consumir fresca ou batida com leite, fazer sorvete, geléia e cremes. Da semente, pode ser obtido um tipo de chocolate amargo.
No blog do Eduardo Jardim fala mais sobre esta fruta. Diz lá que os historiadores acreditam que foram mameis que salvaram o exército espanhol de inanição, quando em campanha de conquista das terras meso-americanas. Leia mais AQUI
A tejocote é muito usada lá para ponches e geléias.
Pimenta Jamaica, folha de milho já limpinha em saquinhos e as morangas.
 E, é claro, dá-lhe chile! Pela quantidade disponível, o consumo é mesmo muito alto.
Abaixo eu colei um texto em inglês que fala a ordem de "ardência" das pimentas mexicanas.
How spicy are chiles?
0 Pimiento or green and red Pepper. It’s not very tasty, and on the spicy scale has little relatively flavor.
1 Dulce (sweet). A pimiento used in Yucatecan cuisine. More spicy than green pepper.
2 Güero or Xcatik in Maya. Used to flavor fish and Yucatecan specialties, it’s quite mild.
3 Chiles secos (dried) like the pasilla, ancho and mulato (shown left to right). The pasilla is used in soups and sauces.
4 Poblano (from Puebla), stuffed with cheese or meat, they are bland or spicy.
5 Serrano. The most common chile in traditional salsa. It varies from fairly mild to hot.
6 Puya. A hotter variety of the dried chile guajillo. Used in sauces, stews and with meat.
7 Jalapeño. Known as green chile or cuaresmeño. Used to make sauces, they can be very hot.
8 Chipotle. You can find this chile bottled in stores. It’s added to meat or served as an accompaniment. It’s very spicy.
9 Morita. Another smoked chile similar to the chipotle. Very hot.
10 Piquín. This is the smallest chile and one of the hottest. Fresh or dry, it’s used to make different sauces.
11 De árbol. It’s generally eaten in sauces made in the molcajete and mixed with fried garlic. It’s very hot.
12 Habanero. This chile accompanies Yucatecan food. Some examples are cochinita pibil (seasoned pork), panuchos (fried tortillas with turkey) and lime soup.

quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Window Shopping

A do carro, a Merci, de Paris, eu não conheço mas gostei da "chamada".
Esta vitrine se movimenta toda, é de papelão. Vi no Shopping Las Americas em Cancun.O fundo é uma colagem de gibis com um filtro de ...como é que chama mesmo, quando dá aquele tom meio marrom de foto antiga? Me fugiu a palavra. Lembrei! Sépia. Instalação da Vanessa Beecroft para a abertura da Megastore da Louis Vuitton's Megastore na Champs Elysees. Selfridges. O Neal's Yard é uma loja que vende queijos em Londres, muito tradicional, pode-se degustar, é o máximo. Eu, que tenho muitas restrições a laticínios, acabo sempre achando um ou outro queijo que acabo comprando.Acho o enorme queijo da fachada muito interessante e as prateleiras repletas de queijos muito legal. A de doces é a Miette Confiserrie, em São Francisco.
Esta é uma casa de sucos muito legal que eu vi em Barcelona, no meio da cidade histórica, na parte medieval da cidade.Tinha umas frutas enormes "fake" muito bem feitas, era uma portinha só, mas muito apetitosa.
Esta fachada chocante é da Sketch Gallery em Londres onde eu fui "barrada no baile". Na verdade, eu só queria entrar pra fotografar de dia, não de noite, mesmo consumindo.Anyway, achei muito legal este cachorro imponente, de guarda colocado na fachada.
Esta vitrine de uma loja de brinquedos foi um dos primeiros quadros que eu pintei. Desenhei inteirinho.Eu" viajei" nos brinquedos. Coloquei tudo que eu queria ter ganho do Papai Noel. No início, eu achava que conseguiria desenhar, mas depois desisti. Mesmo assim, é um quadro que eu curto muito e que não está a venda.
Estas vitrines de tecidos com muitos "brocados" eu vi num bairro de imigrantes de Londres.Aqueles bairros que só eu mesmo pra incluir no roteiro e que, no fim, agradeço a Deus por ter ido sozinha por que senão iria ouvir muito das companheiras de viajem.

Vitrine da Hermes na Bond Street, Londres, para o dia dos pais. Bicicletas totalmente revestidas com conchas.

terça-feira, 15 de dezembro de 2009

Crazy for Owls

A segunda imagem é uma colagem da Sascaliagg, a terceira do Picasso (?).Pelo menos foi isto que li.
A primeira imagem é de adesivo de parede, a segunda,....docinhos, e a corujinha linda na vertical é da laurenalane.com
A segunda, zoiúda, a Lis trouxe para mim de presente de Salvador de um artista de lá, assinada e tudo pelo Yrapuã.
Estas oito da direita são da Branca Rotelli.

segunda-feira, 14 de dezembro de 2009

TIRADENTES - MG- Where to stay

Ouvi dizer que existem bem mais que 100 pousadas na pequena Tiradentes.Fotografei algumas por fora. A primeira, a Manaim Pousada fica bem do lado de onde fiquei.
 Ao lado, a Pousada SS Trindade, fica na mesma rua. 
Embaixo, a Padre Toledo, fica literalmente no centro histórico, assim como o Hotel Ponta do Morro (bem na praça). Todas com a carinha ótima.
Tetê ficou uma vez no Solar Da Ponte e gostou muito. O pessoal lá tem muita prática em atender estrangeiros e fica bem perto da ponte do centrinho. É das mais tradicionais da cidade.Aliás, gente, coisa mais difícil e de grande responsabilidade é dar uma opinião pessoal a respeito de um hotel,de um restaurante, de uma funcionária, indicar alguém para alguma coisa. Ando tendo um certo pavor disto.Pessoas são diferentes, sei lá onde foram criadas e às vezes, pra mim tá bom e pro outro pode ser um pavor. Entendem? E também existe gente azeda por natureza para as quais nunca, nada está de acordo não importa onde estejam. (imagens abaixo do Solar da Ponte)
Enfim, como aqui é meu espaço, conto aqui minha experiência. Voltando ao assunto, o Solar da Ponte faz parte do Roteiros de Charme, o que, é claro, dá uma certa segurança na hora de se fazer uma reserva(imagens abaixo do Solar da Ponte). Mas acabamos descobrindo que existem sim outras pérolas que não estão no roteiro oficial pois....
...dois meses depois ela voltou comigo e ficamos na Brisa Da Serra. Adoramos!É um charme! A proprietária, Rita, muito simpática, é daquelas pessoas que quando conversa com você, ela realmente está alí. Não sei se me entendem. Ela é a alma daquele espaço e a gente fica querendo que ela fique sempre por perto pra poder contar bastante sobre o lugar, dar dicas de passeio ou simplesmente jogar conversa fora. Escolhemos os quartos na parte de baixo. 
Em frente aos quartos amplos (com um chuveiro excelente) tem um gramado e um deck com uma vista linda para a Serra de São José, um verdadeiro paredão verde, muito impressionante. Uma piscina está sendo construída um nível abaixo deste deck, vai ficar ótimo. Ah! Os lençóis gostosos, o colchão ótimo, as colchas impecáveis. A foto com as primaveras em flor é dos quartos na parte de cima.
O café da manhã é uma delícia. Saí do sério com as rabanadas que há tempos não comia e umas quiches e mais outras gostosuras que a gente esquece que existem.
 E tem também o capricho de ter a cada dia um joguinho americano ou um porta guardanapo diferente. Coisas "bobinhas" mas que fazem a diferença.
Na porta da entrada tem dois cachorros de pedra que adorei ...
...junto a um coqueiro onde tem esta escultura em madeira de um catador de cocos com todos os detalhes das ferramentas.
No hall da entrada o teto forrado de macelas dá o que falar.Na ocasião, a pousada estava toda enfeitada com umas bromélias lindas. A Rita já estava se preparando para o Natal.
Repare nesta cozinha típica mineira linda onde o hóspede pode chegar fora de hora para comer um bolinho, pedir um chá, biscoito de polvilho, inventar moda. Um detalhe muuuuito legal é que o café da manhã não tem hora para acabar. Você pode dormir até.....