Virginia Costa

terça-feira, 18 de junho de 2013

Chile- Santiago - Conhecendo um pouquinho

Por puro comodismo acabamos fazendo um City Tour (Touristik) para ter uma ideia da cidade. O que mais curti foi o contraste do velho com o novo e, é claro, a Cordilheira imponente sempre ao fundo. 
Uma coisa eu desconhecia, existe sempre uma bruma sobre a cidade, poluição mesmo, igual em São Paulo mas em Santiago ela se sobressai  mais.  
 Mas enfim, o que não se pode perder na área central: a Plaza de Armas, considerada o "Marco Zero " da cidade. Criada em 1541, na Plaza tem a Catedral de Santiago, fundada em 1775 e o Museu Histórico Nacional, de 1911 e prédios públicos.
 Palácio La Moneda, construído para ser a casa da moeda  mas hoje é o local de trabalho, e às vezes moradia dos presidentes chilenos. Existem visitas guiadas gratuitas nos dias úteis para conhecer o prédio por dentro .Quem puder ver a troca de guarda, ela acontece em dias alternados religiosamente às 10hs.  Foi bombardeado em 1973 pelas forças golpistas de Pinochet.
 Foi difícil tirar uma foto do Costanera Center. Estão vendo que faltam algumas janelas de vidro? A guia explicou em espanhol e eu não entendi. Se alguém souber, me conte.
 De ônibus deu para conhecer um pouquinho de cada bairro: Las Condes, Providencia, Bellavista, Vitacura etc. Las Condes é a melhor localização para quem quer se sentir na Santiago mais moderna e sofisticada. A parte mais caminhável do bairro é a Av. Isidora Goyenechea ( a Av. Paulista de Santiago) e seu entorno, “El Golf”. Passear pela Alonso de Córdova, a "Oscar Freire" santiaguense. 
Os prédios não são lindos? Tá, mas eu adoro uma lojinha e fizemos uma parada no Pátio Bellavista.
 Adorei, minha cara, vários restaurantes simpáticos, lojinhas fofas, esculturas espalhadas, arejado e charmoso. 
Comemos no Backstage (abaixo), delicia. Lá fica também o Epicúreo que li que é otimo.
Saindo de lá tem uma rua que leva a uma das casas de Pablo Neruda, com vários outros restaurantes charmosos, dois deles foram bem recomendados, o Azul Profundo, com uma decoração  náutica muito legal. Entre para ver.
 ... e o Como Agua Para Chocolate, também lindo. Arrume uma desculpa e entre para conhecer ou fique para provar a comida afrodisíaca. Antes que me esqueça, outro muito recomendado, mas longe daqui, é o MESTIZO com uma arquitetura incrível, dentro do Parque Bicentenário. Bom de dia e de noite. 
 Daqui fomos a pé até "La Chascona", uma das três casas (museu) do poeta Pablo Neruda,vencedor do prêmio Nobel.  Não deixe de ir, você sai de lá encantada pela personalidade dele, seu estilo de vida e paixão pelo mar.Foi desenhada por ele e construída para esconder seu caso amoroso com Matilde, sua terceira esposa, antes de se casarem. 
Quase ao lado, há um Zoológico e o funicular que nos levou ao mirante do Cerro San Cristóbal. De lá de cima se percebe a dimensão da cidade, esparramada ao longo do rio Mapocho. As fotos não ficaram boas por causa da tal bruma.
E daí tivemos que descer rápido porque o último ônibus da Touristik passa às 18h. A noite ainda tivemos disposição  para ir de taxi até a Calle Lastarria escolher um restaurante. Nesta rua a escolha fica difícil, todos lindos, com mesinhas na calçada, velas, bem primeiro mundo. Fiquei surpresa quando o garçon me aconselhou a prender a bolsa numa alça que eles tem nas cadeiras (em quase todos os restaurantes).Li que de 5ª a sábado há uma feirinha de antiguidades nesta calle das 10h às 20h.
Vou deixar de mencionar muitas coisas para que não fique muito longo mas não deixe de visitar o Pueblito Los Dominicos. O melhor é ir de metro, é a ultima estação da linha vermelha. Eu cheguei já quase fechando e tive muito pouco tempo para ver mas é uma simpatia, diversas lojinhas de adobe e palha, parece uma vila. Lá tem artesanato de todas as regiões do Chile, eventos culturais e aulas de artesanato. Eles fecham de fato às 19:00 h.A foto acima eu tirei de uma maquete no metro. O local ainda tem este clima.