Virginia Costa

quarta-feira, 26 de junho de 2013

Turquia -Cidades Subterrâneas da Capadócia - Derinkuyu

 Eu estava curiosíssima para visitar uma cidade subterrânea. Tinha lido a respeito e não via a hora de entender como aquilo um dia funcionou. 
 Enfim, chegamos de carro em Derinkuyu, ingresso, 15 TL. O pessoal vai entrando, por grupos, mas sem guia. Lá dentro tem luzinhas e você percebe o ar circulando, não é abafado. A sinalização dentro não é boa, tem umas setinhas vermelhas para indicar o percurso permitido e descendente e tem umas poucas setinhas verdes para indicar a saída. Durante a visita encontramos um funcionário uniformizado, provavelmente lá para evitar algum vandalismo. What a job! 
As passagens foram ficando estreitas, descendo, aquele grupo de pessoas parece que aumentou e foi me dando um mal estar danado e já procuramos a setinha verde e tentamos voltar (para cima). Não foi fácil, havia bifurcações não sinalizadas, o povo sumiu, o guardinha sumiu e demorou um pouco para vermos a luz natural. Foi uma droga de passeio. Me deu um medo danada da luz apagar e acho que se tivéssemos um guia seria melhor.  

 Que vida difícil levavam aquelas pessoas dentro destes formigueiros! Ali perto tem outra cidade subterrânea, Kaimakli. Dizem que há um túnel ligando estas duas cidades, dá aproximadamente uns 9 km.Pode?
 Ninguém sabe exatamente quantas destas cidades existem na Capadócia, supõe-se que sejam por volta de 300 ou pelo menos uma para cada vila ou agrupamento. Derinkuyu foi descoberta em 1965 por um habitante que, ao demolir parcialmente uma parede da sua caverna, se deparou com uma sala que não conhecia que dava acesso a vários outros espaços interligados. 
 Este estilo de vida subterrâneo foi facilitado pelo tipo da rocha que resultou da erupção vulcânica ocorrida há milhares de anos.  A tal “tufa” que resultou disso facilitou o trabalho de esculpir os ambientes e corredores,aliás, fica mais fácil ainda a medida que vai ficando mais profundo. Ela é resistente o suficiente para se escavar amplos cômodos com teto horizontal. Como a madeira para construção é escassa por lá eles geralmente deixam as fachadas em arco, mesmo nas casas lá fora.
 As cidades subterrâneas da Capadócia são únicas pela sua complexidade e variedade. As entradas parecem poços de água comuns mas eles se ampliam a medida que se aprofundam e as pessoas usavam escadas para descer. Havia tuneis escavados para a entrada de animais. Dentro das casas tinha gado, galinha, cabras e ovelhas. Havia também grandes barris de vinho de cevada(“barley”), trigo e feijão. Quando alguém tinha sede, pegava um tipo canudinho e sugava o vinho direto na boca. Este tipo de vinho é super forte e o certo é misturá-lo com água mas eles acabaram se acostumando a tomá-lo puro.
 Alguns afirmam que estas cidades foram criadas pelos hititas para depósitos e só mais tarde foram ampliadas e usadas como refugio pelos cristãos perseguidos pelos romanos. Outros dizem que foram criadas mais tarde pelos frígios como uma linha de defesa contra os assírios. Outra hipótese é que tenham sido construídas durante os tempos romanos/bizantinos quando houve muita luta interna e perseguição a comunidades católicas e ataques externos dos Árabes.
 Improvável que essas cidades tenham sido construídas para serem permanentes. De qualquer forma foram feitas para suportar um grande numero de pessoas e animais por um longo período. A organização urbana era muito complexa e provavelmente estava sempre em obras. Uma rede de tuneis e corredores inclinados ligava as famílias aos espaços comunitários onde eles se encontravam, trabalhavam e oravam. Havia poços de água, chaminés para a circulação do ar, nichos para lamparinas, lojas, tanques de água, estábulos e áreas onde os mortos eram colocados até que condições externas fossem favoráveis para a retirada e enterro.
 
Portas perfeitamente redondas e equilibradas, parecidas com roda de moinho, eram o sistema de proteção.Pesando toneladas, podiam ser movidas por uma só pessoa pelo lado de dentro, o que nos leva a pensar que quem quer que tenha habitado Derinkuyu se escondia de alguém ou de alguma coisa. Existem registros históricos dizendo que vários povos diferentes de fato se esconderam na cidade subterrânea em Derinkuyu para escapar de tudo, desde saqueadores do deserto a legiões romanas. 

Nenhum comentário: