Virginia Costa

domingo, 1 de março de 2015

Ciudad de Mexico em 24 horas

Por um problema de voo, tivemos que ficar por lá por 24 h, o que foi ótimo.
Minha pressa era conhecer aquela praça enorme famosa, a Praça da Constituição (ou Zócalo). Impressionante mesmo, principalmente a catedral 
O que me deixou assim, um pouco receosa foi o fato de haver um policial a cada 50 metros por onde andamos.
Este museu tem uma arquitetura belíssima mas não daria tempo para visita-lo.
No centro, belos prédios antigos, tiramos fotos, mas no fundo me senti como se estivesse em qualquer outro centro de qualquer capital. 
Por fim, achei o que eu queria, um mercado de artesanato com cara de México!! O mercado de San Juan.Enlouqueci. Tinha tudo que eu queria, tudo muito autentico.
 Foi um problema para pagar pois não tínhamos pesos e nem queríamos trocar dinheiro, não valeria a pena. Algumas poucas tendas aceitavam cartão.
Por fim, entramos num bar que estava com uma cara muito animada, bem em frente ao mercado e foi uma ótima escolha.
 O garçon nos seduziu com uma proposta interessante: se tomássemos quatro drinks poderíamos comer todo o cardápio de aperitivos. Achamos que seria uma missão muito fácil. O problema é que não me dei conta que seriam 4 drinks para cada um. Tudo bem, o voo só sairia à meia noite.
Experimentamos o Mezcal que veio acompanhado de laranja e de um sal escurinho, crocante, delicioso. Mezcal ou mescal é uma bebida alcoólica destilada, produzida a partir do sumo fermentado do agave. O mezcal diferencia-se da tequila por ser uma bebida mais "rústica", sendo em geral destilada apenas uma vez, contra duas ou três da tequila.
Uma curiosidade é o antigo costume de algumas marcas de introduzirem a larva de uma borboleta chamada gusano dentro das garrafas de mezcal. Esta larva, que normalmente se desenvolve no meio das plantas do agave, mantém-se intacta se submetida a determinado teor alcoólico na bebida, abaixo deste teor ela se desintegra. E a mais importante regra é que o indivíduo que tomar o último gole da garrafa tem que comer o pequeno verme (larva) que fica no fundo da garrafa. Leia mais AQUI.
O garçon depois nos mostrou que tipo de sal era aquele: de gafanhoto moído. Chocante! Mas delicioso. Ia até comprá-lo mas com tantos drinks me esqueci rsrsrs. Foi divertidíssimo.
 Frequentado só por mexicanos,no final todos estavam cantando músicas típicas. 
A comida era excelente e os garçons muito simpáticos. Acho que foi um dos melhores e mais animados bares que já fui.
Quanto ao hotel, fizemos uma reserva pelo Decolar no mesmo dia e recebemos a confirmação. O problema é que chegando lá não havia o transporte prometido, tivemos que pegar um taxi (US$ 25,00). O hotel não ficava pertinho do aeroporto, como dizia no site e sim no centro. No final foi conveniente para conhecermos. 
Outra coisa, no hotel Marlowe, eles não tinham a menor ideia de que chegaríamos, embora tivéssemos a confirmação do Decolar. Fora isso, um hotel bom, bem central.
 Também não tinha café da manhã incluso na diária, (custaria US$ 15,00 p/p), conforme o Decolar e resolvemos experimentar um café da manhã em um local bem típico e foi muito bom. Ao final, não tínhamos os pesos para pagar, eles não aceitavam cartão e meu companheiro teve que sair procurando uma casa de câmbio enquanto eu ficava de refém no bar, com cara de tacho e a dona de olho em mim para não fugir rsrsr.
 A cidade que hoje corresponde à capital mexicana foi fundada por volta do século XIV e era a capital do Império Asteca, quando se chamava Tenochtitlán. Foi  completamente destruída pelos colonos espanhóis em 1524 e reconstruída nas décadas seguintes seguindo os padrões de colonização de exploração implementados pelo Império Espanhol.
 Ainda no século XVI, a cidade, já quase totalmente reconstruída, recebeu o nome que a acompanha até os dias atuais, Ciudad de México .
A Catedral Metropolitana da Cidade do México é uma das mais antigas catedrais católicas romanas do continente americano. É a sede episcopal da Arquidiocese do México e, portanto, a catedral primacial do país.
 Foi construída sobre os escombros de um templo asteca adjacente ao Templo Mayor, no lado norte da Praça da Constituição (ou Zócalo, como também é chamada), no centro da Cidade do México.
Fiquei triste por não ter dado tempo de conhecer a casa da Frida Kahlo.

Nenhum comentário: