Virginia Costa

quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Vintage Quilts

Os museus geralmente são tão enormes que o melhor que se pode fazer é escolher uma três galerias para curtir antes de chegar. 
Desta vez, os quilts estavam em primeiro lugar, já que é coisa bem típica de americano. No entanto, não haviam muitas peças em exposição. 
 No American Folk Art Museum  não tinha nenhum exposto, só alguns poucos na lojinha. 
Esse museu é pequeno e de graça. Fica bem pertinho do Lincoln Center.
 Daí eu fui no Metropolitan Museum. Achei esse deslumbrante.
 No meio do século dezenove esse estilo (Rococo Revival) estava na moda. As guirlandas com folhas de parreira e as flores são do mesmo tipo da decoração dos móveis entalhados da mobília da época. Embora muitos quilts tenham sido feitos para uso cotidiano, esse pode ser considerado bem refinado para a época em que foi criado. Pelo seu excelente estado de conservação supõe-se que este era o melhor, "para exibir" somente em ocasiões especiais.
 
 Crazy Quilt- Nova Inglaterra, entre 1880-85, algodão. Os "crazy quilts" uma mania na última década do século dezenove, eram geralmente feitos com pedaços irregulares de veludo e seda.  
 Este é bem diferente porque a artesã escolheu faze-lo com retalhos alegres de algodão e acabou criando um álbum elegante (e barato) dos tecidos dos anos 1880 incluindo designs egípcios, japoneses, lenços infantis e inclusive pedaços de tecido com falsos patchworks.
 Este quilt mostra algumas imagens políticas que o pessoal de hoje em dia não reconhece. Em 1930 o galo era um símbolo bem conhecido do Partido Democrata. Era mais comumente visto impresso em cédulas no Centro-Oeste, onde esse quilt foi feito. O "X" grande em cima simboliza um voto para o partido. O design foi formado colocando juntos pequenos quadrados de tecido. Essa técnica, inspirada primeiramente na padronagem do bordado em grade, era muito popular no anos 30. 
 O quilt renasceu de novo nas primeiras décadas do século vinte por dois motivos. Primeiro pela "Colonial Revival" e segundo, pela Grande Depressão que ocorreu em 1929. Fazer colchas com restos de tecido tinha tudo a ver com a parcimônia da época. O design da escola é feito até hoje mas se tornou popular por volta de 1890. Foi uma maneira de relembrar as escolinhas de uma sala só que estavam desaparecendo. Este, em particular, deve ter sido feito entre 1900 e 1920 e inclui finos detalhes em ponto corrente em cada uma das janelas e portas.
 

 Ernestine Zaumseil criou este extraordinário quilt usando o modelo da Árvore da Vida nos últimos anos do século dezenove. Este modelo já era usado para colchas desde o século dezesete. As primeiras colchas com a Árvore da Vida foram feitas pelos índios, chamavam-se "palampores" e tinham uma árvore estilizada com frutas e flores fantásticas. No quilt de Zaumseil,  as árvores e os galhos são bem mais realistas, em parte porque parece que ela usou folhas verdadeiras como molde para os apliques.
 
Para quem é craque no quilt, esse livro deve ser uma jóia pois contêm 650 modelos em vermelho e branco da coleção (particular!!!) de Joanna S. Rose. Teve uma exposição com eles em 2011 que foi um sucesso, veio gente de várias cidades. O livro contêm fotos da exposição e um índice com os padrões. No momento está tendo um desconto para quem comprar antes da noite de autógrafos ( com decoração vermelho e branco) que vai ser dia 26 próximo. Clique AQUI para mais info.

Nenhum comentário: