Virginia Costa

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Santarém- Museu Dica Frazão

Dona Dica Frazão, 94 anos, comanda ao mesmo tempo com mãos de ferro e de fada o seu próprio museu desde 1999.
Há cinco anos numa cadeira de rodas, recebe os visitantes um a um com um beijinho na mão. Auxiliada pela sua bisneta Carla, Dona Dica já deixa bem claro o roteiro a ser seguido na única sala do museu na sua casa. 
- Carla, traz a cestinha com as fibras! Carla, vai lá mexer a panela! Fiquem todos aqui! Vocês vão ver agora uma obra única. Ninguém no mundo faz o que eu faço. Eu transformo essas fibras em tecido. Agora, cheguem bem perto para ver! Sintam a firmeza da fibra!
E assim aquela senhorinha de aparência frágil acaba conduzindo a todos de forma enérgica e didática. 
Transforma a palha da malva, do buriti, do patchouli e principalmente uma entrecasca de árvore da Amazonia em tecido. Parece mágica mesmo. A tal entrecasca é fornecida pelos índios mas eles se recusam a dizer o nome de qual árvore. Exemplo no vestido acima feito para a festa do Boi Garantido de Parentins. 
Tem uma réplica de uma toalha adquirida pelo Papa João Paulo II  feita com  palha de buriti e uma toalha para Juscelino Kubischek.
Réplica de vestido feito com fibra de malva para a Rainha Fabíola da Bélgica. Fica parecendo lã mesmo.
Coroa com sementes de abóbora, melão e pepino.
 
Bouquet de noiva com flores feitas com penas de ganso.
É realmente um trabalho único.
Não há nada sintético, tudo absolutamente natural.
Ao final fomos conduzidos a uma salinha ao lado com a parede repleta de honrarias e homenagens a ela.
 Alguns chapéus bonitos feitos com palha de buriti e bolsas estavam a venda. 
- Quantos vocês vão querer? R$ 70,00 o chapéu. Carla, pegue os chapéus!
Três pessoas compraram mas a última ainda estava tentando arrumar dinheiro trocado.
Dona Dica, muito rápida e lúcida já disse:
- Peraí, 3 x 7 dá 21, tem alguém que não pagou!
Depois a Carla conferiu o dinheiro e disse que estava sobrando R$ 10,00.
- Ah! esses R$10,00 eu to devendo para sua mãe. 
E guardou o dinheiro no sutiã. 
Não é uma figura muito interessante? Essa ainda vai longe. Um verdadeiro patrimônio de Santarém. Uma coisa me esqueci de perguntar, se ela tem passado esse conhecimento para outros. 

Nenhum comentário: