Virginia Costa

terça-feira, 11 de outubro de 2016

Downtown Calgary Parte 2

O centro de Calgary é para ser descoberto aos poucos. Eu deixei de ver muitas coisas na primeira visita e por isso esse "guia" vai te ajudar a aproveitar mais. Aliás, se você não leu a primeira parte sobre o centro de Calgary, clique AQUI.
Tem obras de arte em vários pontos. Veja AQUI um pouco delas que mereceram um post à parte.
Um bom ponto para começar é a Olympic Plaza que foi construída em 1988 para os Jogos Olímpicos de Inverno. Foi o local da entrega das medalhas e o espaço é usado para várias cerimônias, festivais e eventos.
Estes são os chamados tijolos olímpicos. Foram vendidos para a população por $19.88 cada. Para cada tijolo vendido, $5 foram doados para o Olympic Plaza Trust Fund. Mensagens pessoais, inscrições e frases foram gravadas nos tijolos. Em abril de 1987 os operários começaram a assentá-los. 
Essa instalação, a Centennial Grove, apresenta 100 tubos cor de laranja, de várias alturas, que sugerem 100 troncos em pradarias nativas. Foram colocados para celebrar os 100 anos dos parques de Calgary. Em cada um deles está escrito o nome de um parque da cidade sendo que as árvores maiores representam os parques mais antigos. São 100, cada um para um parque de Calgary! As árvores estão colocadas em grupos de 10 para representar a passagem do tempo e o crescimento da cidade entre 1910 e 2010. 
No inverno esse lago vira uma pista de patinação ao ar livre. Excepcionalmente, essa praça tem banheiro público. Para chegar lá, desça na estação do C-Train chamada City Hall. 
Saindo dessa praça, dê uma passeada pela Stephen Avenue, considerada um local histórico nacional. O nome dessa rua de pedestres foi colocado em honra do empresário George Stephen que começou sua carreira como aprendiz de comerciante de seda. Por volta de 1870 era um dos homens mais ricos do Canadá. Ele arriscou boa parte da sua fortuna para financiar a Canadian Pacific Railway e se tornou presidente da mesma em 1881. 
Ali mesmo fica o excelente Glenbow Museum, algumas esculturas, lojas, um shopping importante, vários pubs lindos e prédios históricos. Ah! também não deixe de reparar nas tampas dos bueiros! 
Nessa minha segunda vez na cidade resolvi explorar mais a fundo as tais passagens de um prédio para o outro, a chamada +15 Skywalk. 
Descobri que dá para se percorrer o centro todo por dentro delas. No primeiro andar de todos os prédios tem um comércio completo, como se fosse de rua, tem restaurantes, lavanderias, etc.
Esse sistema foi criado por um arquiteto e planejador urbano chamado Harold Hanen. Nascido em Calgary esse visionário! Esse sistema de Skywalk é o mais longo do mundo, com 16 km.
 Daí você entende porque tem tão pouca gente na rua. Confesso que achei muito sufocante e como boa caipira que sou, me perdi, andei em círculos e não via a hora de voltar para a rua, hehehe. 
Outro dia voltei e já me senti bem à vontade. 
 Sunterra Market.
Descobri mais coisas interessantes e já não perdi o rumo. 
Acabou que fui fazer um cursinho rápido de desenho com modelo ao vivo na Arts Commons e tive que usar o +15. 
 Lá tinha uma galeria de arte muito interessante ao longo da passagem.
Tem um filme que se passa dentro do Skywalk, chama-se Waydowntown. É sobre um grupo que aposta entre si um mês de salário que não vai descer para as ruas.
Na Stephen Avenue, se quiser parar para uma cerveja, o Bank And Baron P.U.B. é muito lindo e com cerveja a $ 5. 
Fica num lindo prédio do Bank of Nova Scotia, de 1930. Belo vitral no teto! Em contraste com toda a sobriedade e estilo, garçonetes com saias bem curtas. 

Nenhum comentário: