Virginia Costa

domingo, 27 de novembro de 2016

Coral Gables, Venetian Pools,Perez Museum

 Logo cedo vi que estavam montando uma feira de antiguidades do lado de casa, pode? Não resisti, comprei um bule fofo azul e branco, antigo, por $10. Eu poderia ser internada depois dessa! Fiz há pouco uma Garage Sale vendendo tanta coisa. Não posso recomeçar.
 Não posso comprar mais bules!! Eu nem tomo chá! Mas acho tão lindos e lembram minha infância. Fazer terapia fica mais caro do que comprar um bulezinho de vez em quando rsrsrs.
Saí com pressa, ainda estavam montando, só antiguidade, das boas. Queria conhecer a Venetian Pools que fica num lugar tão residencial que o motorista do Uber até passou reto.
 Fica ao lado dessa rua linda. Aliás, tem várias delas em Coral Gables, assim, com essas árvores enormes. A Coral Way, mais central, é toda assim. Passei de trolley por ela.
Bom, a  piscina é tão perfeita para piscina pública que a gente até estranha. Como sempre, até o numero de pessoas é o certo. É publica mas é paga, paguei $9. A água é limpíssima. A lanchonete é muito fraca e os banheiros e trocadores são ok. 
Originalmente aqui era uma pedreira de onde extraiam rocha de coral (não sei se é certa essa tradução) para fazer as casas de Coral Gables de antigamente. Muitas dessas rochas foram usadas também no acabamento das bordas e outros detalhes da piscina. Em 1924, Denman Fink, artista ,arquiteto e tio do fundador de Coral Gables, George Merrick, transformou a pedreira em uma piscina exclusiva  que lembrava uma lagoa natural num cenário Veneziano.Seu design incluía pontes, torres, um cassino e um paisagismo exuberante. 
Nos anos 20 a piscina foi usada para promover Coral Gables e para enfatizar a arquitetura da cidade, tão distinta de outras. Ela tem também duas torres de observação com vista (me esqueci de subir lá!!) . Ela tem capacidade para 820.000 galões de água que vem de um aquífero subterrâneo. Na primavera e no verão a piscina é cheia e esvaziada todos os dias! Não usam cloro! Tem duas cachoeiras que compõem o background e as "caverninhas" que são uma farra para quem nada lá. A beleza da Venetian Pool é ainda mais acentuada pelas suas loggias, pórticos, palmeiras e ponte encomendada. George Edgar Merrick  (1886-1942) foi o criador de  Coral Gables, A piscina foi aberta em 1924 como "Cassino Veneziano" , o que era parte do grande plano que  George Merrick tinha para a Cidade de Coral Gables. 
A visão dele para a cidade era de encorporar um clima de realmente viver no interior. Ele planejava criar a cidade com traços mediterrâneos com entradas imponentes, praças e casas em estilo mediterrâneo. A rocha calcária (ou rocha coral?)que foi tirada do buraco da pedreira da piscina foi usada para criar algumas das construções originais da vizinhança.Com os esforços de George Merrick, do artista Denman Fink e do arquiteto Phineas Paist, a piscina foi transformada num paraíso que hoje está incluído no Registro Nacional de Locais Históricos, a única piscina a ter essa designação. Nos idos anos, o “Venetian Casino” era frequentado  por muitas celebridades e artistas de cinema com Johnny Weismuller e Esther Williams.
 A piscina também foi palco de concertos de orquestras quando seus 820 mil galões de água eram drenados e a orquestra tocava no fundo da piscina. Muitos anos mais tarde, em 2001, esta cena se repetiu com um concerto também dentro da piscina vazia para comemorar os 75 anos da City of Coral Gables. Em 1989 terminou a primeira reforma histórica da piscina. Entre 2009 e 2010 , mais uma reforma.Pelo que li, eu nadei lá na véspera de iniciarem uma nova reforma. 
Gostei das caverninhas que tem nas rochas e dá para entrar dentro delas, como se fosse uma gruta. 
Saindo de lá, fui a pé até a Miracle Mile. Com esse nome, eu tinha que conferir, né? É uma rua comercial bonita, com hotéis legais. É bonita, mas dizer que é "miracle" é exagero. 
Vi essa barbearia aí que achei o máximo. Chama-se Get Razzle Dazzled e fica no 241 da Miracle Mile.
Reparem na qualidade dos móveis antigos! E as meninas atendem com uma roupa super malucona.
Depois de tanta andança, pausa para café com red velvet num café muito agradável.
ao lado do Coronade Building onde funciona um hotel.  Ele fica ali à esquerda, onde tem os vasos.
 
O bairro, realmente, achei lindo quando vim a pé. Passei por Coconut Grove rapidinho e não parei. Vi a Coco Walk que tem uma cara ótima.
Dei uma olhada externa no Perez Museum. Tirei essa foto do barco outro dia.
A arquitetura é linda, com esses jardins verticais suspensos enormes. 
Lá tem esse redário moderno, com cabos de aço, muito confortável. Olhando a gente não diz mas ele é ótimo.
Adoro uma lojinha de museu mas não visitei as exposições porque realmente não me aguentava em pé. 
Ainda voltei ao Bayside , comi um camarão no Bubba Gump e encerrei o dia. Nesse mesmo dia estive no Vizcaya cedo, por isso o cansaço. Conto sobre esse museu incrível noutro post.

Nenhum comentário: