Virginia Costa

sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Detesto me exercitar!

Eu moro no primeiro andar e a academia do prédio é no térreo. É só descer um lance de escada e eu chego rapidinho no inferno. Minha desculpa era o abafamento , mas só que  agora colocaram ar condicionado e eu, para ficar bem com meu cardiologista, tenho ido na calada da tarde, como uma gazela, cabreira, arisca, arredia, sem querer encontrar pessoas, tenho me esforçado, desde que não tenha viva alma por perto. Acabaram-se as desculpas!
Eu preparo meu espírito antes de descer. Escolho o horário de um programa de TV que eu gosto de ver e desço, valente, bem intencionada, calculando o perigo de encontrar outros humanos.  Hoje, num horário que todo ser humano normal deveria estar almoçando em casa, eu fui e dei de cara com uma mãe na esteira com cria ao pé ( termo que a gente usa na fazenda). A pobre criança, entediada, esparramada numa esteira malfunctioning, esperando a mãe.  Jesus! A TV da academia estava desligada. Coitada daquela criança! A que ponto  chegamos!  A bichinha mãe estava trotando no  8.50 e eu fico no 6.0 me segurando mesmo, como um polvo, medo danado de cair e virar videocassetada. Pois é, sabemos que hoje existe o temível Olho Que Tudo Sabe e Tudo Vê. Um fantasma que assola nossas vidas e que nos impede de arrumar a calcinha no elevador.
 Acho que nas academias as coisas funcionam como no banheiro dos homens. Como disse o Mentor Neto, tem uma ética. Eu não devo ficar olhando a velocidade que aquela  mulher ao meu lado está correndo e nem reparar se ela está suando, derretendo como eu, enfim, todo mundo faz cara de paisagem. Obvio que eu vi, de rabo de olho, que ela é uma louca desvairada que estava correndo há 40 minutos!!!  Benzadeus!!  Deveria ter trazido um brinquedo, sei lá, alguma coisa para aquela criança se distrair. Essa situação me estressou mais do que o martírio de ter que caminhar como um hamster  na esteira.  Eu só queria que ela fosse embora e libertasse aquela criança entediada, obrigada a esperar a mãe correr atrás de sei lá o que .
Agora, Mentor, vamos combinar, se aquela criança estivesse pintando aquelas mandalas  ou florestas do Izubesquitino (kkk) seria muito mais saudável, viu? Tá vendo? Lápis de cor não é tão ruim como parece. Cara, você tem que experimentar rsrsrs. Vai se cansar logo, claro, mas é gostoso. É tipo jogar Pet Rescue só que mais boring kkkk

Um comentário:

Sandra liberato disse...

Kkkk você não existo amiga!! Passou duas vezes na fila do bom humor!!
Bju ��