Virginia Costa

sábado, 19 de setembro de 2015

Sobre Calgary, minhas impressões

Eu nunca tinha prestado muita atenção a Calgary até minha filha me comunicar que iria se mudar para lá. Corri no Google Maps. Achei bem fora de mão. Após um longo e detalhado processo de cidadania, moram lá há três meses. Claro, eu tinha que ir ver como estavam. Conclusão, estão bem melhor que a gente. Lá a crise passa despercebida e as pessoas tem uma qualidade de vida que nós, brasileiros, não podemos nem imaginar. TUDO funciona, as casas e apartamentos tem um padrão bom. A diferença econômica entre classes sociais que tão bem conhecemos, lá é muito pequena. Muitos velhinhos aposentados trabalham meio período por diversão. Não precisariam.
Velhinhos mesmo, e isso me impressionou.
 A qualidade de vida é levada a sério, idosos tem como sair para passear, trabalhar e para almoçar fora, por exemplo. 
Calgary é terceira cidade mais populosa do Canadá, a mais populosa da província de Alberta.
Bem pertinho, a cerca de 80 quilômetros, ficam as Montanhas Rochosas, com lagos de verde esmeralda e turquesa que parecem que tiveram suas cores retocadas no computador.
A população é de aproximadamente 1 milhão de habitantes. Fundada em 1875, Calgary é atualmente um centro financeiro e comercial, onde estão localizadas as sedes das principais empresas petrolíferas do Canadá.
Existem muitos estrangeiros na cidade, principalmente chineses, indianos e brasileiros. 
Tem Chinatown no centro, pequena mas bem autêntica.  Conheci um supermercado enorme que só tinha produtos chineses. 
 A casca deste molusco é do tamanho de uma mão, de homem, grande!
Achei curiosíssimo, tantos produtos que eu não conhecia, inclusive frutos do mar muito estranhos para nós.
Outra coisa curiosa que reparei é que eles gostam de cachorros enormes. Difícil ver os pequenos, aos quais estamos habituados aqui.
Em relação à reciclagem, é quase uma religião. As pessoas separam as embalagens em casa, levam até um dos postos, sempre bem localizados, colocam numa bandeja, o lixo é pesado e na hora recebem dinheiro em troca. Fui com minha filha e a operação levou uns três minutos.
O tempo muda várias vezes ao dia. Coisa de louco mesmo. Não sei de onde vem as nuvens e num minuto o tempo fecha, chove, e sai o sol de novo. 
Agora em Setembro achei o clima ótimo mas a família lá já está se preparando para comprar agasalhos (caros) onde conste uma etiqueta que indica que é apropriado para - 30 graus. 
Existem três YMCAs na cidade. São centros de lazer completíssimos e equipadíssimos, com escola infantil e High School. 
Lá as crianças fazem natação, almoçam, tem um biblioteca fantástica, aulas de arte e um parquinho que elas são obrigadas a frequentar mesmo com temperaturas abaixo de zero. Quando está menos 30 elas tem que ficar quinze minutos!!! Pelo que vi, todo mundo frequenta o local diariamente.
No centro , que é bem delimitado e moderno, a gente quase não vê as pessoas na rua. Os prédios se comunicam por tubos de vidro. Não é necessário ficar na rua e acho que o povo se acostuma com isso e não usa a rua mesmo com o tempo bom. Será que estou errada?


Na hora do almoço é comum os executivos saírem para comer com suas marmitinhas trazidas de casa, assim como todos os estudantes. Todo mundo carregando seu tupperware. 
Para os habitantes legais, a vida lá é muito boa, dá para se programar e comprar casa financiada com juros baixos de verdade. 
As áreas residenciais são decentes e padronizadas, a vida é digna. 
O brasileiro Luiz Nobre, que mora lá há 8 anos, faz muitos videos interessantes, com muito mais conhecimento de causa que eu, que só estive lá uma vez.
Também reparei no grande numero de deficientes se locomovendo com facilidade pelas ruas (calçadas impecáveis!) e muitos, inclusive, trabalham. 
Outra coisa, lá tem vários cassinos. Totalmente liberados.
O Prefeito de Calgary,  43 anos, Naheed Nenshi, foi eleito o melhor prefeito do mundo em 2014, que tal? 
O lado ruim? O frio, e mais uma vez o Luiz Nobre conta como é. 
Bom, se a primeira impressão é a que vale, acho que essa parte da família que está tão longe tem muita chance de ser feliz e ganhar dinheiro suficiente para nos visitar bastante, já que, como disse antes, lá é meio fora de mão.
Tem uma coisa da qual eles se orgulham muito e que agita demais a cidade no verão, é o Calgary Stampede. Trata-se de uma festa no estilo Festa do Peão de Barretos. 
Essa eu quero ver! Dizem que é a maior do mundo e existe há 100 anos. 
E mais: não tem nenhum rato na cidade!!!!!

Nenhum comentário: