sexta-feira, 16 de novembro de 2018

Mais dicas de Campos do Jordão

Desta vez parei num lugar diferente na estrada, logo na ida, na altura de Tremembé.
O que me chamou a atenção foi a horta.
O Empório Serra à Vista é muito bem construído, amplo e tem diversos espaços. Servem café da manhã daqueles caprichados nos fins de semana.
Chegando em Campos do Jordão tem uns lugares que eu faço questão de visitar todas as vezes. Um deles é o Sans Souci Bistro ou Malharia Geneve.                                                      A decoração externa e interna é sempre uma surpresa.
 Adorei esse guarda sol com pompons!                                                                          E essas meias, gente?                                                                                         Depois fui visitar o Museu do Palácio do Governo. Estive lá há muitos anos e gostei de ver como está bem conservado, muito bonito mesmo. 
A visita guiada é muito esclarecedora. Parte do palácio é o museu em si e outra parte ainda é usada para hóspedes ilustres e para o governador do estado.
Pátio interno do Museu do Palácio do Estado de São Paulo   
            Logo em frente tem O Café Palácio, muito charmoso.
Com mantinhas na decoração e uma vista linda da sacada.
Museu Felícia Leirner
Seguindo adiante na mesma estrada fui conhecer o Museu Felícia Leirner. Foi inaugurado em 1968 e tem esculturas da artista Felícia num imenso jardim.
Museu Felícia Leirner
São esculturas em bronze, cimento branco e granito. É um museu de esculturas a céu aberto.
Auditório Claudio Santoro

Fica no mesmo lugar onde é o Auditório Claudio Santoro.                                   Me aventurei numa trilha com 4x4 até Luminosa.                                                       Fui de carona, claro.

Estávamos em oito carros e foi bem mais tranquilo do que eu imaginava.  Nessas estradas, depois do tanto que choveu, só dá mesmo para passar de carro 4x4. A paisagem é belíssima. Repare na pequena Luminosa lá embaixo, no vale.
Se trocar a raça das vaquinhas a gente até acha que está na Suíça.
Paramos para almoçar no Alambique Cachaça Luminosa. 
Dona Eloá e marido estavam nos esperando com um almoço muito gostoso: torresmo, salada de banana (delícia), arroz e feijão, farofa de banana, carne com batata, linguiça, mandioca frita, frango caipira etc.

Pode-se reservar pelo (035)3641-4095. Tem muita banana boa nessa região, toda orgânica. 
O negócio lá é simples mesmo mas é assim que o povo (eu) gosta. 
 O salão é igualmente simples mas todos ficam muito a vontade. Lá tem também uma pousada que não fui conhecer. R$ 60,00 por pessoa com café da manhã e tem as cachaças no alambique.
Pelo cardápio singelo dá para se ter a ideia dos preços.
Numa outra vez fui com minha amiga até o Frutopia que é do mesmo dono do Restaurante Entre Vilas, o Rodrigo Veraldi.
Estou louca para voltar lá para almoçar no fim de semana, que é quando eles abrem.
O conceito é bem diferente, slow food, ou seja, você praticamente passa a tarde toda por lá, admirando a vista, o pomar, as parreiras, sem pressa.

Tudo que é servido é produzido lá mesmo ou vem de produtores da redondeza.

Passear pelo pomar é uma aula de botânica. Quem nos recebeu foi o Francisco,apaixonado pelo que faz, agrônomo e Chef de cozinha.
Olhem só o capricho nas parreiras!
Frutopia
Duvido que você saiba do que é essa plantação!
É lúpulo, acredita? Nunca tinha visto. Rodrigo conta AQUI como chegou até esse ponto. Tem também uma matéria no Globo repórter sobre ele AQUILogo depois que estive lá minha amiga recebeu do próprio Rodrigo um video mostrando uma oncinha no meio da plantação de lúpulo. Emocionante! 
A adega está prontinha para receber o vinho que estará pronto daqui  poucos meses. Eles vendem mudas de árvores frutíferas também e produzem mel. Tem muitas, mas muuuuitas castanheiras, árvore de kiwi, pinheiros exóticos, avelã, amora chilena e outros tipos de berries.
Essa é o sabugueiro. Fiquei enrolando para postar, esperando ir ao restaurante, mas sei lá quando vou pode ir e acho importante deixar aqui a dica, embora não tenha comida lá mas senti firmeza conhecendo o local e ouvindo de gente que foi e adorou.
Mas na hora de comer acabo sempre nesse restaurante, o Sabor da Província.
 Já falei dele em todas as postagens de Campos de Campos do Jordão.                                                                                       O primeiro prato é uma das muitas opções vegetarianas servidas lá. Esse é um hambúrguer de feijão fradinho acompanhado de omelete com ora pro nobis. O outro é nhoque com recheio de pinhão e o outro um pastel de nata maravilhoso.                                                                             
 A palha italiana é divina, mais úmida.
O travesseiro de Sintra com amêndoas é o máximo assim como a geleia de laranja com pimenta e a sardella. Ai! Quero voltar!  Tem três outros posts com dicas de Campos do Jordão, é só clicar AQUI para ver. Alguns lugares eu visito todas as vezes porque realmente gosto muito.   

terça-feira, 13 de novembro de 2018

Würzburg

O cartão postal de Würzburg é essa ponte linda do ano 1112. Dizem que lembra uma ponte de Praga. Tem 12 estátuas grandes de santos.
Festung Marienberg Schloss ao fundo
Durante a Segunda Guerra Mundial, Würzburg foi uma importante fortaleza para a maquina nazista alemã. A cidade já havia previamente massacrado a população judaica no seculo XII e XIII. Desde 1933 vinha apoiando totalmente a ideologia nazista e organizava boicotes e rebeliões anti judeus. Em março de 1945 os bombardeiros britânicos quase destruíram toda a cidade para expulsar os militares alemães. Depois da guerra os EUA marcaram presença com seu exercito lá por mais de 60 anos.
A vista é linda de ambos os lados. 
Falkenhaus
Atravessando essa ponte fica o centro histórico que tem construções belíssimas como a Falkenhaus acima com sua fachada rococó. Essa construção foi praticamente destruída na guerra pelos ingleses e reconstruída com perfeição conforme fotos da época.
 A Falkenhaus já foi a casa do sacerdote e uma hospedaria. Hoje funciona como centro de informações turísticas e biblioteca publica.
Marienkapelle - Würzburg
Ao lado dela fica a Marienkapelle, em estilo gótico, seculo XIV.
Marienkapelle - Würzburg

Seu interior foi consumido pelas chamas também na guerra e foi reconstruída em 1950.
Forro em estilo gótico da Marienkapelle
Coisa mais linda esse teto!

Aí, é bater perna e desvendar a cidade.
No centro de Würzburg tem lojas bem diferentes no calçadão e diversas praças com comércio bem movimentado.
Killiansdom - Catedral de St Killian
E quando a cidade não tem mercadão eu vou aos supermercados. Aqui, achei o Kupsch muito bom, bem regional. Dá para ver a placa dele em vermelho do lado direito dessa rua. Tem coisas que só se encontra na Alemanha mesmo, como alguns embutidos, mostardas especiais, chocolates etc.
Entre outros castelos, o Residenz é a principal atração. Por sorte ficava a poucas quadras no nosso apartamento. Ele foi praticamente destruído na ultima guerra e tem sido restaurado desde então. Na verdade, embora seja enorme, são poucos os salões disponíveis para visita. O que já foi restaurado é deslumbrante e não pode ser fotografado.
Jardim do Castelo Residenz - Hofgarten Würzburg
O jardim é muito bonito.
Por causa do calor extremo, deixei de curtir muitos passeios nessa cidade. Conhecemos um psiquiatra muito simpático, criado na cidade, que disse que deveríamos visitar o Rococo Garden Veitshöchheim e no fim da tarde a adega do castelo Residenz à luz de velas com degustação de vinhos. A adega fica nesse prédio da foto acima, ao lado do castelo.
Deve ser o máximo visitar a adega de um castelo. Ele foi muito enfático a respeito desses dois programas. Não tive disposição física para nenhum deles mas fica a dica. Acho que nunca mais volto na Europa no verão. Mentira, volto sim. Só sei que é sufocante e os europeus acham o máximo. Os ambientes não estão preparados. Eu não contava com isso. O mais estranho é que eles até olham torto se você reclama. Eu morei na Alemanha, em Colonia, há 40 anos e estranhamente não tenho uma foto de camiseta, sempre de casaco. Nunca passei calor lá. Me lembro que para ver sol a gente tinha que passar um fim de semana fora da Alemanha. Claro que foi uma exceção mas com certeza isso tem a ver com o aquecimento global.
Sophienback - Würzburg
O melhor da cidade foi o restaurante Sophienback. Olhando de fora a gente não dá nada mas é do jeito que eu gosto, sem turistas, sem frescura, comida boa e autentica alemã. É em busca disso que eu economizo para viajar.
Sophienback - Würzburg
Escolhi pela internet por que tinha recomendação máxima. Mais honesto, impossível. Pesquisando sobre ele descobri que tem mais de 100 anos e que depois de destruído na segunda guerra, graças aos esforços de Bruno e Maria o SophienBäck se tornou um dos primeiros pubs de vinho de Wurzburg. 
Sophie Friederike von Bayern
(1805 - 1872)
O nome do restaurante SophienBäck assim como a Rua Sophienstraße , é em homenagem a Sophie Friederike von Bayern, uma filha do rei Max von Bayern. Ela era mãe do imperador austríaco Franz Josef I e sogra da Sissi!!! Eu posso com isso? 
SophienBäck
O ambiente interno é bem característico e até o imagino bem aconchegante no inverno. Estão vendo só? Muita história e pouca ostentação.
SophienBäck
Na parte externa tem uma parreira linda que estava no auge da produção.
Eu nunca tinha visto isso, uvas ao alcance das mãos num restaurante. Help yourself! Que gostoso!
Para variar, eu e minha filha pedimos peixe, aquele mesmo que cada vez tem um nome diferente e difícil, marinado: dessa vez foi Kupsch Matjes, ou será Heringsfilet mit Gurken-Apfelschmand? De qualquer forma, me dá água na boca só de lembrar.
Sophienback - Würzburger Wein vv
Nosso novo amigo alemão fez questão que provássemos os três melhores vinhos da região, escreveu até os nomes nos papeizinhos para organizar: Baccus, Scheurebe e Kerner . 
Wein Blatz
Também, por indicação do mesmo fiquei conhecendo essa gostosura, o Wein Blatz ( nesse caso significando folha de uva). Ele disse que só o pessoal de lá conhece mesmo e que existem poucas padarias que ainda o fazem.
Wein Blatz - Würzburg
É parecido com uma massa de pastel bem fininha, só que é assada. É para beliscar enquanto se toma vinho. Adorei!
No final até arrematamos com um Underberg. Foi muito agradável e ficamos até fechar, aí sim, Brazilian style. Foi muito gostoso e instrutivo. Esse restaurante também é uma opção de hospedagem.O próprio dono me passou o email para contato de estadia lá. Acho que é coisa nova e por isso não tem um site ainda. Enfim, vale a pena entrar em contato: sophienbaeck@gmx.de.  Que pena que eu não sabia! Tanto a chegada quanto a estadia em Würzburg foram meio catastróficas.
 O AirbnB não foi legal desta vez. O apartamento era muito amplo, a localização boa mas uma coisa foi imperdoável, a roupa de cama não era limpa, não tinha ventilador e tinha plantas com água podre no quarto.
Reclamei no site e fui ironizada pelo rapaz que era o dono. Não o conheci. Enfim, faz parte. Não dá para acertar todas mesmo tendo planejado antes. Sobre minha experiência até agora no AirBnb eu contei AQUI
Não podíamos deixar de provar a salsicha da cidade. Ótima também! Essa comemos num restaurante do outro lado daquela ponte, no nível do rio, debaixo das árvores.
Este prédio é um castelo que fica ao lado da catedral e tem um restaurante lá, o Burger Ratskeller
Comemos outro prato delicioso lá. Salmão defumado, arenque e batata assada com creme de leite azedo.
Se você curtiu esse post e está pensando em visitar a Alemanha, sugiro que dê uma olhada nas postagens que fiz sobre FrankfurtDinkelsbuehlNurenberg. Sobre Rothenburg ob der Tauber tem tanto assunto que tive que fazer quatro postagens, uma sobre Comer, Rezar e Amar em Rothenburg, outra sobre o hotel gracinha que fiquei láSobre os portões, a muralhaAtrações que valem a pena!!