Virginia Costa

quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Porto Seguro - Cidade Histórica

Protegida por canhões situados na ladeira de acesso, aqui, na parte alta,ficava a sede do poder. 
 Pode-se ver as águas do Rio Bunharém se encontrando com as do mar. 
Esta capela completava o conjunto do antigo Colégio Residencia do Salvador, a primeira escola jesuítica para meninos, criada em meados do Século XVI. Um jesuíta assim a descreveu:
"O sitio é amplo, de bom prospecto ao mar, tem quatro camaras térreas forradas e oficinas acomodadas. A igreja é pequena, bem acabada."
O Colégio funcionou até 1759 quando o Marques de Pombal expulsou os jesuítas do Brasil. Foi usado como moradia por um professor de latim até 1820. Abandonado, resistiu até 1917 quando uma firma local retirou seus materiais para construir uma serraria na Cidade Baixa.
 
Iniciada em 1730, no local da antiga matriz da Vila, sua construção arruinou-se antes de ser concluída. Foi reformulada e finalizada em 1773, quando a Coroa Portuguesa incorporou a Capitania de Porto Seguro. Seu destaque arquitetônico é a torre com dois vãos sineiros, única na Bahia. 
Conserva ainda o antigo púlpito em madeira. A devoção a Nossa Senhora da Pena, protetora das Artes, das Ciências e das Letras, remonta a época do Renascimento quando artistas e escritores tomavam a Virgem Maria como fonte de inspiração. Essa matriz é a primeira igreja dedicada a ela no Brasil. Sua festa, comemorada no dia 8 de setembro, sempre atrai um grande numero de devotos.
Casa de Câmara e Cadeia (1756), onde funciona o Museu de Porto Seguro.
 Igreja de Nossa Senhora da Misericórdia (construída em 1526 e reconstruída em 1535), com imagem do Nosso Senhor dos Passos. Construída no local da antiga capela quinhentista, tem a fachada em estilo barroco. Da igreja primitiva restam o púlpito e a imagem do Crucificado assim descrita por um viajante jesuíta em 1583: "Na Misericórdia tem um crucifixo da estatura de um homem, o mais acabado e devoto que já vi e não sei como a tal terra veio tão rica cousa"

A Cidade Histórica é o primeiro núcleo habitacional do Brasil. Monumento nacional desde 1973, ostenta um conjunto arquitetônico de insuperável beleza, tombado em 1968.


 
No marco tem a Cruz de Portugal, também chamada de Cruz da Ordem de Cristo. Este símbolo nacional foi instituído por volta de 1520, pelo Rei Dom Dinis. Foi usada em vários monumentos arquitetônicos, como a Torre de Belém, além de figurar também nas bandeiras dos navios na época das expedições marítimas para sinalizar para os povos pagãos que aquele navio era de povos cristãos. Era usada nas bandeiras na era dos descobrimentos como uma forma de honrar  a Ordem de Cristo, instituição religiosa que contribua financeiramente com as grandes navegações.
 Índiazinha pataxó e artesanato em madeira feito pelos índios.
Produtos de cacau
Uma parada para cocada e sorvete.
 Este passeio leva pouco tempo. Não fique depois de escurecer. 

Nenhum comentário: