Virginia Costa

quinta-feira, 11 de maio de 2017

O belíssimo aeroporto de Calgary!

Que surpresa agradável chegar em Calgary e ver pronto o novo terminal do aeroporto internacional (YYC)!
A obra custou 2.6 bilhões de dólares, um planejamento de quinze anos e seis anos para executá-la. Ficou lindo, diferente, elegante e a cara de Calgary. 
Todos os anos de planejamento se revelam nas obras de arte que  mostram a cidade de Calgary, os  animais da região, as famosas Rocky Mountains, enfim, todo o Estado de Alberta. A ideia da empresa responsável, DIALOG, era essa mesmo, fazer com que a cidade se apresentasse aos visitantes logo na chegada.

As obras de arte foram executadas por artistas locais e estão nas carrosséis de bagagem, nos corredores, por todo lado! Esses búfalos são do artista Stewart Steinhauer Creston. Esculpidos à mão, agregam diversas técnicas.
O artista principal é Jeff de Boer, nascido em Calgary. Imaginem que honra para ele, não é? O aço foi cortado com laser e moldados à mão
Big Horn Sheep
Essa obra se chama Catch Of The Day e mostra uma águia pegando um peixe na água.
The Glacier Wall, obra de Michael Mailhot ,realmente nos lembra que estamos em Calgary pois isso é o que se vê no horizonte lá, as Rocky Mountains e os rios com água turquesa e transparente.
 Breakaway ( Fuga), de Robert Spaith.
 Spring, de Al Stinson.
Uma preocupação da DIALOG que achei muito apropriada foi o fato de insistirem em abrir espaço para pequenos comerciantes locais junto com as grandes redes. Assim, os habitantes de Calgary podem comer no seu restaurante antigo predileto, por exemplo, lá mesmo no aeroporto.
 Três pinheiros de metal com onze metros de altura. Debaixo deles três animais robotizados que interagem, um castor, uma coruja e uma marmota, essa aponta a cabecinha para fora e depois volta para dentro do buraco quando nos aproximamos.
Os pinheiros, eu acho, devem ser uma referência à Douglas fir, uma conífera perene tipica da região.
 Chegar nesse aeroporto é como passear por uma galeria de arte. Adorei tudo!
Outro detalhe é que fizeram acabamentos ao longo de todo o terminal com um tipo de pedra que só tem nas Rocky Mountains, a rundlestone. 

E para tornar tudo muito especial, do tipo "queremos de paparicar", os carrinhos elétricos com motoristas com chapéu de cowboy (idosos, diga-se de passagem) à disposição para dar carona de um terminal para outro. 

O chapéu é uma referência ao Stampede, uma festa que contei AQUI nesse post. Esse pessoal é conhecido como White Hatters ( chapéus brancos), são voluntários. Verdade, juro. Eles chegam ao aeroporto para esse trabalho voluntário às quatro da manhã. Eu vi!
Nem vou entrar no mérito da obra em si que é toda ecológica, inteligente e eficiente. 
Só me lembro de um outro aeroporto gostoso demais de passear, o de Amsterdã. Embora eu tenha tido uma experiência bem desagradável, o Schiphol é lindo.

Nenhum comentário: