domingo, 5 de novembro de 2017

Gramado e seu Encanto

Nutcracker
Com um olho no Waze e outro na minha máquina fotográfica, partimos para Gramado e Canela.
Gramado
Estive lá há muito tempo e fiquei impressionada com a quantidade de grandes parques temáticos que existem agora. Bom por um lado, mas já foge um pouco do meu perfil de viajante.
Rua Coberta
As lampadinhas já estavam sendo colocadas para o maravilhoso Natal Luz que acontece lá. Já estavam em todas as árvores e contornando as construções. Ainda não estavam acesas. É uma unanimidade, todo mundo que já viu se apaixonou.
Igreja Matriz São Pedro em Gramado
O coração da cidade é a Igreja Matriz São Pedro,  inspirada no estilo arquitetônico romano. Foram usadas cerca de 78 mil pedras basálticas extraídas de pedreiras próxima à cidade de Gramado e foram trazidas em carros de bois.
Interior da Matriz de Gramado
Os vitrais sacros da igreja foram pintados pelo artista alemão Pedro Dobmeier e marcam as passagens da vida do apóstolo Pedro ao lado de Jesus Cristo. O sino da igreja pesa cerca de 1.000 quilos. Foi criado em bronze, aço e estanho. Em 2009 o sino foi sistematizado eletronicamente.
Em frente da igreja ficam as estátuas dos 12 apóstolos de Jesus, em tamanho real com identificações.




 Na Rua Coberta e proximidades, restaurantes com aquecedores a gás, mantinhas e pelegos para o turista se aquecer. Achei isso tudo de bom.
Sopa no pão
Contudo,erramos na escolha do restaurante nessa noite, na Rua Coberta. Creminho de palmito no pão estava bem ordinário mas o garçom, imensamente gentil, nos perguntou: "Estão bem confortáveis e aquecidas?". Isso foi bom.
Antes de anoitecer fomos conhecer a Praça das Etnias, perto da Rodoviária. Eu queria ver como funcionavam os tais fornos comunitários. Muito interessante, os moradores vão até lá para assar o que precisarem em dias determinados. Em outros dias, tem um pessoal assando cucas e outras delicias para venda ( quartas, sextas, sábados e domingos).
Comemos um pãozinho recheado com linguiça assado na hora no forno a lenha. Ao todo são 148 colonos da Associação de Fornos de Gramado que se revezam para utilizar os fornos cedidos pela prefeitura. Achei muito legal.
Casa do Colono
Bem ao lado tem a Casa do Colono, com carinha de Alemanha,  onde vendem mais coisas gostosas de produtores da região.
Saí de lá com geleia de uva, sal verde ( excelente!), pesto etc.
 Tudo produção dos colonos da região.  Não tenho remorso de gastar com comida.
Casa Italiana
Esta é a casa que representa a Itália. Reparem que sempre tem um porão. Fizeram um verdadeiro garimpo com os familiares e na região para compor o acervo do museu.
 Eu devo estar muito velha pois reconheci uma série de objetos que fizeram parte da minha infância. Minha máquina literalmente embaçou no momento que entrei em Gramado por isso algumas fotos estão meio nebulosas.
 Gente, eu cheguei a usar ferro com brasa na fazenda!!
A moça que nos atendeu, Rosa, era super empolgada com tudo e nos contou como era o dia a dia da família antigamente.
Visitamos o porão que continha diversos objetos de trabalho muito interessantes. Uma coisa eu garanto, aquele povo dava muito duro. As peças eram muito pesadas. Qualquer pessoa menos forte acho que não sobreviveria a esse estilo de vida. As coisas melhoraram demais de lá para cá.
Na Praça das Etnias estão representados Portugal, Alemanha e Itália. Podem ser feitos passeios nesses ônibus simpáticos para as colonias produtoras.
Cucos alemães
Em frente à essa praça tem um loja chamada Kukos. Pensem numa loja encantadora! Voltamos à infância novamente. Os cucos maiores são caros, entre  4 e 9 mil. Cada um um detalhe diferente!
Me lembro que quando visitei lojas semelhantes na Floresta Negra, eles também eram muito caros. 
Chocolate
No centro tem várias lojas tentadoras de chocolate com embalagens bem bonitas. Obviamente, também existem muitas lojas boas com artigos de Natal.
Ainda deu tempo de conhecer o Lago Negro. Um lugar bonito com pedalinhos bem conservados. 
Loja de artesanato. 
Uma torre da Rapunzel bem construída mas meio decepcionante para os R$ 8,00 cobrados para subir e ver a vista lá de cima.
Fica numa parte do lago chamada Alemanha Encantada. Tem um barzinho embaixo que serve cervejas importadas e chopp.
Parque Knorr
O que não deu tempo de ver e ficamos pesarosas foi o parque Knorr que tem a Aldeia do Papai Noel. Iam abrir no dia seguinte. É uma área de 90.000m2, totalmente arborizada com espécies raras e até renas. 
Também não conseguimos chegar a tempo para ver o Mini Mundo. Acho que os adultos gostam mais do que as crianças. Tudo começou com um avô, Otto Höppner, que fez uma casinha em miniatura para seus dois netos. Hoje, conta com 200 réplicas em tamanho 24 vezes menor que o original.
Mas em compensação achamos esse hotel super charmoso. Pinturas lindas ao redor das janelas, cara da Bavária. Hotel Ritta Hoppner .
Apfelstrudel
Tivemos que entrar para conhecer e o gerente Márcio, muito educado, permitiu que nos servissem uma apfelstrudel fora do horário do lanche. Estava divina, acompanhada de suco de pêssego.
Esse é um hotel que vale a pena para quem vai numa viagem romântica.  
Vitro fusão
Me chamou a atenção a beleza desse trabalho em vidro nas portas. A flor no centro é a edelweiss, a flor símbolo da Suíça e da Áustria. Só floresce em altitudes acima de 2000 metros. É do atelier de vitro fusão Feitoadois
Lá perto, vimos essa casa encantadora.
 E por falar em hotel, ficamos numa pousada bem gostosa e muito bem localizada, Pousada Recanto da Lua.
 TV, ar condicionado, frigobar etc.
Por causa do meu pé ficamos no térreo, num apartamento com acessibilidade. Banheiro grande com todas as amenidades.
Café da manhã de normal para bom e atendimento ótimo do pessoal. 
Eu sei que é muita informação mas não contei aqui nem a metade do que tem em Gramado para ser visto. 

Nenhum comentário: