sexta-feira, 28 de junho de 2019

Imigração ucraniana no Canada. Você teria encarado?

Monumento aos imigrantes ucranianos em Alberta, CA
Meu foco aqui é a coragem que tiveram ao atravessar o oceano e como a esperança é capaz de operar milagres. Eu desisti de entender a história desse país antes da vinda deles para o Canadá. Há mais de cem anos a perseguição (religiosa, entre outras) forçou muitos ucranianos a sair de seu país. Procurando por tipos de terra similar para ganhar a vida muitos se estabeleceram na área ao redor de Edmonton, Alberta. Hoje existe lá uma próspera comunidade de ucranianos e 10% da população de Alberta tem origem ucraniana.
Esses novos cidadãos canadenses da Ucrânia se uniram para construir esse fascinante museu vivo, ao ar livre, para explicar como era a vida na virada do século. Foi o melhor passeio que fiz nessa ultima visita ao Canada.
O Ukrainian Cultural Heritage Village, mostra de forma muito interativa e em detalhes como foi a ocupação inicial dos imigrantes ucranianos no centro leste de Alberta de 1892 a 1930.
Ukrainian Cultural Heritage Village
Dá para visitar mais de 35 estruturas históricas restauradas inclusive três igrejas rito bisantino oriental. O governo canadense queria povoar o oeste de Alberta e oferecia terra de graça, muita terra.
Um cidadão ucraniano, Iwan Pylypiw, foi para o Canadá conferir se era verdade, voltou para seu vilarejo na Ucrânia, confirmou a veracidade da doação de terras e muitos o seguiram.
Óleo sobre tela de Peter Shostak mostrando os ucranianos aprendendo a caçar perdizes e coelhos para sobreviverem
A ideia foi ótima mas eles não estavam acostumados com o inverno rigoroso dessa região.
Óleo sobre tela- Peter Shostak
Quando chegaram, tudo que tinham era um baú ( imaginem escolher o que levar nesse baú!) por família. Encontraram terras virgens com mata nativa.
Casa de barro e grama
Geralmente chegavam na primavera para dar tempo de construir uma "sod house" ou "sod schak" que era uma casa com estrutura de madeira preenchida com barro e coberta com grama. Podiam ser construídas em cinco dias. Imaginem o sufoco! Eram quentes no inverno, frescas no verão e eram à prova de fogo. A desvantagem é que tinham uma tendência para goteiras na época das chuvas e atraíam vermes. Mulheres tinham seus filhos ali, os criavam, cuidavam da terra enquanto os maridos estavam ausentes em alguma empreitada distante.
Óleo sobre tela de Peter Shostak - casaco de pele de carneiro
Imagine o que passavam no longo inverno, isoladas de tudo e ainda com coiotes lá fora. 
Eu contei AQUI quando visitei um museu semelhante em Calgary. Eles mor
avam por até uns 3 anos nessa casinha até fazerem uma melhor. Como só tinham um baú de coisas, o resto todo eles tinham que fazer ou improvisar, as camas, o forno, a mesa, brinquedos. Chegar na primavera significava dar tempo para plantar para o inverno.
Serigrafia de Peter Shostak mostrando as conservas de pepino. 
Plantavam cebola, beterraba, batata,pepino, linhaça e dill para o borscht, entre outras coisas. Isso tudo pode ser visto na visita às pequenas propriedades do museu. Na escola, juntavam as crianças da primeira à oitava série na mesma sala com um único professor. Meninos de um lado e meninas do outro.Tinham ferias para trabalhar na época da colheita. A escola tinha o nome de Escola Russa por que alguém do governo canadense esteve lá e não tinha a menor ideia de onde vieram essas pessoas e achou que eram russos. O nome só foi mudado anos depois.  
Loja na Ukrainian Cultural Heritage Village- Edmonton
Quando você visita a vila você entra numa loja, por exemplo e logo vem alguém falar com você. Daí a pessoa começa a contar da vida dela, te mostra tudo e você jura que ele mora ou trabalha lá. Essa loja era de um comerciante que morava com a filha de 10 anos nos fundos da loja.
Ele mostrou o quarto onde dormia com a filha, a cozinha e como carregava a bateria do carro com um moinho de vento instalado no telhado. Eu acreditei.
Museu/Vila ucraniana em Edmonton, Canada.
Na verdade, são atores contratados para trabalhar na temporada de verão, por exemplo. Eles realmente incorporam os papéis, adquirem sotaque e assim a experiência fica bem real e a gente se sente realmente visitando uma vila de imigrantes.

Os próprios atores acabam valorizando o trabalho dos ucranianos pois uma moça da atual geração acaba trabalhando duro assando pães o fim de semana todo num forno a lenha, os rapazes lidam com os cavalos, aprendem a profissão de ferreiro, aprendem a fazer pierogies, enfim, todo mundo ganha.
 Nessa linda construção fica o restaurante, com comida excelente, bem informal.
Celeiro, venda de grãos
A maioria dos imigrantes veio da Galicia Bukovina.
São aproximadamente 35 construções restauradas do período de 1892 a 1930. 
Igreja ortodoxa grega ucraniana
Tem três igrejas e muito simbolismo. Os três domos representam a Santíssima Trindade. A cruz mostra que a igreja é de fé ortodoxa tendo a coroa de espinhos de Jesus na parte de cima.
Lustre esculpido em madeira 
O marrom representando a terra onde caminhamos, o verde representa a vida na terra e no teto o azul com estrelas douradas representando o céu sobre a terra. As igrejas bizantinas são geralmente construídas em forma de cruz.
 
Casa de Iwan Pylypiw
Esta foi a ultima casa de fazenda onde Iwan Pylypiw  morou, a terceira que ele construiu na área de Edna Star.
Dentro da casa de Iwan Pylypiw
Pensar que ele começou com aquela casinha de grama! Iwan chamou uma sobrinha para vir morar com ele e em troca ela cuidaria da casa e faria as refeições, dormiria na cozinha para poder já acender o fogão à lenha bem cedinho. Ela nunca tinha tirado leite de vaca e quando tentou a vaca fugiu. Perderam a tal vaca. Depois a sobrinha foi cozinhar e serviu trigo cozido com sal. Só isso. Iwan ficou chocado pois isso mostrava claramente que era só o que o povo dele andava comendo na Ucrânia.
Boa notícia é que ele morreu rico em 1936 com 77 anos. 
Lenço típico da Ucrania
Tem uma loja com produtos típicos.
Um dos mais conhecidos para nós são os ovos pintados.
Pessanka
Em Curitiba eu vi os mais bonitos, contei AQUI e são da Silvana Pujol, uma artista de Pomerode.  
Serigrafia de Shostak - Por que não temos mais tempo para fazer os ovos?
Pêssanka, ou pysanka, é um termo ucraniano que pode ser traduzido como escrever. São ovos inteiros e crus decorados à mão com motivos místicos e arte ucraniana.
Tradicionalmente, as pessankas são feitas na última semana da Quaresma e levadas à igreja no Domingo de Páscoa, para serem abençoadas. Nesta ocasião são presenteadas às pessoas amigas. 
Visitor Center- Ukrainian Cultural Heritage Village
O grupo tentava permanecer em contato, embora morassem longe uns dos outros.
Peter Shostak - Natal na Escola
Os professores não ucranianos tentavam introduzir novas tradições como o Papai Noel e a árvore de Natal.- O Brasil abriga hoje a maior comunidade ucraniana da América Latina, contando com mais de 1 milhão de pessoas, entre ucranianos e descendentes, 80% deles vivendo no estado do Paraná.  
SErigrafia de Peter Shostak - Os cuidados com as roupas tradicionais
É um museu para todos, principalmente para os habitantes de Alberta aprenderem sobre seu passado. Ótimo programa para fazer junto com a visita ao Elk Island Park, o parque do alces e bisons. Recomendo!!!
Elk Island Park


Um comentário:

marisa rossi disse...

Simplesmente inverissimel a força de trabalho e abnegação desse povo! Sua viagem foi um deslumbramento, imagino!!!!! Amei tudo!!!!